Os 13 porquês (13 Reasons Why) - Investidor Inglês

terça-feira, 25 de abril de 2017

Os 13 porquês (13 Reasons Why)


Assistindo 13 Reasons Why (Os 13 porquês), lembrei de uma situação; - Como a nossa mente pode aumentar as coisas a um nível inimaginável! Nunca percebeu isso?  Acredito que você já tenha passado por algo assim. Bom, mas vamos voltar ao assunto...

Vou contar algo que aconteceu comigo no trabalho certa vez. Havia algumas semanas que eu estava perturbado. Eu estava com uma boa carga de trabalho, mas não foi isso que me incomodou.



Os Problemas criados por nossa mente

Os 13 porquês e os problemas aumentados


O trabalho não estava me agradando. O ambiente de trabalho idem. E a cada dia que se passava, aumentava minha tortura. O dia só começava para mim, quando eu chegava em casa e fazia o que queria fazer.

Eu estava passando por doideiras tipo "essa tarefa não é para mim"... Como se a tarefa me diminuísse. Ficava puto com colegas, entre outros...

Comecei a cogitar minha demissão, pois não estava sendo nada agradável levantar cedo e "me levar ao trabalho"...

Até que um belo dia, entre uma pausa em minhas tarefas, recebi um texto que ao lê-lo, Cara, simplesmente toda minha perturbação, o monstro que se criou em minha mente, foi embora. É, as palavras tem força...

E sabe o que o texto dizia?  Ele falava sobre como a nossa mente transforma situações pequenas em monstruosas. Como coisas tão banais, ganham uma importância exagerada.

Ao começar a lê-lo, foi muito legal como o texto me mostrou que eu estava fantasiando algo que não existia!  Que a situação toda que se criou, não era devido as minhas tarefas, não era devido ao ambiente de trabalho. Era simplesmente my fault! minha culpa!

E ai entra o seriado 13 Reasons Why...

13 Reasons Why - Os 13 porquês

Dos 13 porquês, um realmente é forte. E combinados aos demais, levaram Hannah Baker a tirar a própria vida. Mas, até chegar nesse ponto, a garota absorveu demais todas as situações em que passou. Lembre-se que falo sobre a série, pois não li o livro!


E sim, somos nós quem escolhemos como absorvemos as informações.

Como assim Inglês?  Vou explicar.. Veja o caso do jogador de futebol Daniel Alves. Em um jogo do Barcelona, foi atacado com insultos racistas. E em um dos ataques, foi lançado uma banana em sua direção. Sabe qual foi a reação dele?   Ele pegou a banana e comeu.

Percebeu que foi dele a escolha em como encarar a situação?  Ele poderia pegar a banana e jogá-la contra o agressor.  Entende o que quero dizer?


E tem alguém que concorda comigo, ou melhor, eu concordo com ele rsrs  -  Stephen Covey. Esse cara que mencionei ai, tem um principio chamado 90/10. Veja um trecho dele que retirei do site da folha...

O PRINCÍPIO 90 / 10  -  Stephen Covey 
Que princípio é este?  Os 10% da vida estão relacionados com o que se passa com você, os outros 90% da vida estão relacionados com a forma como você reage ao que se passa com você.
O que isto quer dizer? Realmente, nós não temos controle sobre 10% do que nos sucede.
Não podemos evitar que o carro enguice, que o avião atrase, que o semáforo fique no vermelho. Mas, você é quem determinará os outros 90%.
Como? Com sua reação.
Exemplo: você está tomando o café da manhã com sua família.
Sua filha, ao pegar a xícara, deixa o café cair na sua camisa branca de trabalho.
Você não tem controle sobre isto. O que acontecerá em seguida será determinado por sua reação.
Então, você se irrita. Repreende severamente sua filha e ela começa a chorar.
Você censura sua esposa por ter colocado a xícara muito na beirada da mesa. E tem prosseguimento uma batalha verbal.
Contrariado e resmungando, você vai mudar de camisa. Quando volta, encontra sua filha chorando mais ainda e ela acaba perdendo o ônibus para a escola.
Sua esposa vai pro trabalho, também contrariada. Você tem de levar sua filha, de carro, pra escola. Como está atrasado, dirige em alta velocidade e é multado. Depois de 15 min. de atraso, uma discussão com o guarda de trânsito e uma multa, vocês chegam à escola, onde sua filha entra, sem se despedir de você. Ao chegar atrasado ao escritório, você percebe que esqueceu de sua maleta.
Seu dia começou mal e parece que ficará pior. Você fica ansioso pro dia acabar e quando chega em casa, sua esposa e filha estão de cara fechada, em silêncio e frias com você. Por quê? Por causa de sua reação ao acontecido no café da manhã.
Pense: por quê seu dia foi péssimo?
A) por causa do café? B) por causa de sua filha? C) por causa de sua esposa? D) por causa da multa de trânsito? E) por sua causa?
A resposta correta é a E.Você não teve controle sobre o que aconteceu com o café, mas o modo como você reagiu naqueles 5 minutos foi o que deixou seu dia ruim.
O café cai na sua camisa. Sua filha começa a chorar. Então, você diz a ela, gentilmente: "Está bem, querida, você só precisa ter mais cuidado".
Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva, você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus.
Dá um sorriso e ela retribui, dando adeus com a mão.
Notou a diferença? Duas situações iguais, que terminam muito diferente. Por quê? Porque os outros 90% são determinados por sua reação.
Aqui o texto completo! = http://www.folha1.com.br/_conteudo/2010/09/blogs/cartasnamanga/1202768-texto-espetacular-o-principio-90-10-stephen-covey.html 





Reflexões sobre a série


Apesar da comparação entre a minha situação e a mostrada no seriado, sei que há um elemento que torna a comparação injusta. E esse elemento é a inexperiência! 

Hannah Baker está começando a vida. Logo, é de se esperar suas atitudes. Se nós adultos muitas vezes não sabemos lidar com nossos problemas, imagina os adolescentes... Por isso Pai/Mãe, não subestime o problema do seu filho(a)! Quem melhor para ajudar a superar a falta de experiência não?

Outro ponto interessante da série é sobre a relação entre pais e filhos.  Uma pergunta difícil de ser respondida é


Como entrar no "mundo" criado pelos filhos?

Como saber o que se passa com eles?  
   

Hannah Baker e seus 13 motivos que levaram a tirar sua própria vida
Já assistiu a série?  Recomendo a você assistir os 13 porquês






See ya!

12 comentários:

  1. Muito bom II.
    Irei começar a ver essa série em breve.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Mestre!

      Depois diga o que achou! Adianto que no inicio parece uma série de adolescente, mas depois engrena...

      Excluir
  2. Stephen Covey era o cara. Tem vários ótimos livros dele.

    Rapaz, essa série tá muito falada, não é do tipo que me interessa. Netflix continua acertando em cheio. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo! Obrigado pela visita!

      Vou procurar pelos livros dele. E sim, A Netflix acertou mais uma vez!

      Abraços

      Excluir
  3. parabéns pelo excelente texto!
    Já vi a série e tive a mesma percepção que você: que grande parte dos problemas enfrentados por ela na verdade existem na cabeça dela - e não há nada de errado nisso, pois cada indivíduo é dotado de virtudes e valores diferentes. Realmente, quando somos jovens algumas coisas parecem ter mais importância do que na verdade têm. Por exemplo, hoje, mais de uma década depois de passar pelo ensino médio, simplesmente cago e ando pro que aconteceu naquela época, seja bom ou seja ruim. Claro que há sim lembranças, mas são apenas isso, lembranças. Quando somos adolescentes e estamos vivenciando o fato, o mundo todo parece se resumir a isso: seus amigos; seus pais; seu rendimento escolar e escolhas que não podem ser prorrogadas.
    Em fim, hoje posso dizer que quase nada do que planejei pra minha vida quando da adolescência se concretizou, mas tampouco posso dizer que fracassei. Minha vida apenas seguiu caminhos diferentes - inclusive melhores em alguns aspectos.

    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Anônimo! E valeu pela visita!

      Abraços

      Excluir
  4. II,

    Terminei de assistir a série hoje. Realmente ela é muito boa e mostra muitos problemas que os jovens enfrentam e suas últimas perguntas são as que mais faço. Como entrar no mundo criado pelos filhos?? Muito difícil isso, eles se fecham, sentem vergonha dos pais e por mais que os pais tentem ser legais, eles sempre vão achar um jeito de burlar essa conversa.

    Muito interessante que você citou que nossa mente potencializa tudo. Eu sempre pensei nisso e sempre falo que se você ficar martelando algo na sua mente, isso vai acabar acontecendo se depender de você. Quer um simples exemplo? Você pensa em comprar um carro, escolhe o modelo, o Jipe Jimny por exemplo que não é muito comum mas a partir do momento que você coloca na mente que quer um desses você passa a ver um a cada dez minutos na rua e por quê isso acontece? Simples, porque você colocou isso na sua mente e vai passar a notar sempre.

    Com os adolescentes acontece muito isso, eles colocam na cabeça que aquela pessoa não gosta delas, ou que são incapazes de executar uma determinada tarefa ou que são burras porque não conseguiram tirar 10 igual outro tirou.

    Difícil entrar nesse mundo mas para facilitar bastar lembrar exatamente o que você fazia quando era adolescente.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Buscando Primeiro Milhão!

      É cara, essa questão de entrar no mundo dos filhos é tensa hein, eu ainda não tenho filhos, mas sei que essa será uma parte bem difícil...

      Valeu pela visita! Abraço!

      Excluir