Fevereiro 2017

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017


CARD3 é o código representando a ação da CSU Cardsystem


A CARD3 foi o destaque da minha carteira simulada no mês de janeiro de 2017 registrando uma alta de mais de 40%!!!  Depois de falar da Fibria (FIBR3), que teve uma desvalorização, hoje chegou a vez da CSU. Vamos ver alguns dados dessa empresa...



Quem é CSU Cardsystem - CARD3?

Criada em 1992, a CSU é empresa líder no mercado brasileiro de prestação de serviços de alta tecnologia voltados ao consumo, relacionamento com clientes, processamento e transações eletrônicas, com soluções completas de programas de cartões de crédito e meios de pagamento eletrônicos, gestão e terceirização de data center, soluções customizadas de loyalty, e-commerce, vendas, cobrança, crédito e contact center.


Análise Fundamentalista 

Receita, lucro e Dividas da CARD3
O resultado do quarto trimestre 2016 sai dia 09/03/2017 após pregão! (irei acompanhar)

Em 2013, houve o término do contrato de processamento de cartões do HSBC, assim impactando bastante sua receita e consequentemente seu lucro. Porém, a empresa conseguiu se adequar e fechou 2013 com um pequeno lucro.  Na ocasião da saída do HSBC, lançaram uma diretriz para reenquadrar a empresa. 

Veja abaixo a diretriz retirada do release do primeiro trimestre de 2013;

Diretriz estratégica da CARD3

Após 2013, os números da CARD3 vem melhorando, divida liquida caindo, receita e lucro aumentando...  Passarei a olhar com mais carinho essa ação.


Lembrando que isso é apenas um estudo inicial, passando longe de ser recomendação de compra/venda!



See ya!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

O que aconteceu fórmula mágica Joel Greenblatt?  Não vai passar o Ibovespa?
O que acontece FIBR3?...


Hey!

Vamos ao fechamento da carteira simulada!  Pra quem ainda não conhece, estou estudando a rentabilidade da "fórmula mágica de Joel Greenblatt"  Aqui um post introdutório.

Resumindo o estudo, a ideia foi montar a carteira como Joel Greenblatt propõe, acrescentando dois requisitos -  liquidez e ações ON.   Vamos ver como se comportou a carteira em seu primeiro mês de vida


Carteira de Ações Fórmula Mágica Joel Greenblatt


Vamos ver como se comportou a carteira fórmula mágica de Joel Greenblatt em seu primeiro mês


A carteira teve uma valorização de 5,45% diante de 7,38% do Ibovespa no mês de janeiro. Em seu primeiro teste, perdeu para o Ibovespa por uma diferença de quase 2%. Pode parecer pouco, mas não é...

Os destaques da carteira ficaram com CARD3 48,68%, SMLE3 17,14%, CVCB3 12,95% e MDIA3 10,86%.  Na ponta negativa ficaram FIBR3 -8,53%, SEER3 -4,11% e CIEL3 -2,79%.


FIBR3 - Fibria Celulose SA
FIBR3 - Fibria Celulose é uma empresa brasileira

Pegando embalo na simulação da carteira, farei uma leve analise das ações destacadas do mês. E para começar, pego a ação com o maior destaque negativo - FIBR3.

Quem é FIBR3?


A Fibria (FIBR3) é uma empresa brasileira líder mundial na produção de celulose branqueada de eucalipto. Com capacidade produtiva de 5,3 milhões de toneladas anuais, a empresa exporta celulose para mais de 40 países.

Fonte: Wikipédia

Abaixo um gráfico com dados que eu gosto de olhar de inicio;


FIBR3 - aqui um gráfico mostrando as receitas, lucros e dividas da Fibria
Nos dados de 5 anos, a Fibria teve prejuízos registrados em 2012 e 2013. Algo que já me afasta de ser sócio, pois escolho empresas com lucro constante. (Talvez depois de avançar nos estudos eu reconsidere isso.)

Além do prejuízo, outro dado que não gosto de ver é divida crescente. E a divida liquida (divida bruta - caixa) da Fibria saltou de 7.474 bilhão para 11.459 bilhão. Quando vejo esse dado, verifico o setor que a empresa se enquadra e o porquê da dívida. Assim, enviei um questionamento para o RI pedindo mais informações. Assim que responderem, coloco aqui a resposta.



Resposta do RI da Fibria


Prezado Investidor Inglês,

O aumento da dívida é consequência de um ciclo de investimentos mais robusto, com a expansão do projeto Horizonte 2 em Três Lagoas.

Assim, espera-se que passado este ciclo, a Companhia volte aos seus patamares normais de alavancagem estabelecidos na sua Política de Endividamento, conforme trecho a seguir extraído da política:

“A Companhia buscará a todo tempo, a relação Dívida Líquida sobre EBITDA Ajustado dentro do intervalo de 2,0x e 2,5x, podendo, em determinado momento do ciclo de investimento, atingir temporariamente o nível máximo de 3,5x durante este período de ciclo de investimento. Em nenhum momento, as decisões estratégicas e de gestão da Companhia deverão implicar em que esta relação exceda 3,5x.”



Quem quiser ver mais da politica de endividamento, acesse aqui!

P.S - Ressalto a agilidade do RI da Fibria, ao responder minha dúvida em questão de horas! Continuem assim!

Lembrando que isso é um estudo inicial, ficando longe de ser recomendação de compra ou venda!

 


See ya!