Março 2015

sábado, 28 de março de 2015

Como escolho minhas ações - Usando a fórmula mágica de Joel Greenblatt

Hey!

   Como vocês escolhem as ações para suas carteiras? Aqui um pouco de como eu escolho as minhas!  Prontos?  Let's go!

 
Como escolho minhas ações - Hmm e agora?




Como escolho minhas ações - Filtrando as centenas de ações da bolsa


   Primeiro, uso um filtro para não ter que analisar as centenas de empresas da bolsa. Esse filtro nada mais é do que a fórmula mágica de Joel Greenblatt. Ele ensina essa fórmula mágica em seu livro "The Little Book That Beats The Market". Abaixo imagem de seu livro traduzido em português.



Fórmula mágica Joel Greenblatt


   A fórmula mágica consiste em usar dois parâmetros conhecidíssimos da analise fundamentalista. O P/L e o ROE.  Aqui uma definição retirada do site investidorjovem;

O P/L é um indicador que relaciona o preço da ação com o lucro líquido por ação. Quanto menor, melhor. Ele nos dá uma idéia se o preço do papel está barato ou caro. Aqui no Investidor Jovem exploramos bastante esse indicador. Você pode entender um pouco mais sobre ele aqui e aqui.

O ROE (da sigla Return on Equity) é calculado a partir do lucro líquido da empresa e seu patrimônio liquido. Quanto maior, melhor. O indicador representa quanto uma empresa consegue gerar de lucro em relação ao capital investido pelo acionista. Ele nos dá uma idéia de como anda a saúde financeira da empresa.

   A fórmula mágica de Joel Greenblatt consiste basicamente na procura por ações com os menores P/L e maiores ROE.  Ou seja, empresas boas e baratas. (Será?)

   Joel Greenblatt fala para montarmos um ranking com sua fórmula e comprarmos as 30 primeiras ações do ranking. Eu optei por não fazer isso. Primeiro porque minha carteira talvez chegue a 10 ações e segundo, porque uso mais parâmetros para comprar uma ação.

   Segue um exemplo de como uso a fórmula mágica para "garimpar" ações;

Troquei P/L e ROE por EV/EBIT e ROIC



  - A imagem acima mostra o ranking de acordo com a fórmula mágica;

  - Eu deixo apenas as Ações ON (salvo exceções) e retiro ações com pouca liquidez (mínimo de 50 negócios por dia). A imagem a seguir mostra o ranking com as modificações.


   Pronto! Está ai 19 ações para analisar. Com elas, eu verifico o balanço anual de cada empresa e, caso a mesmo atenda a meus critérios, eu a compro!  (melhor do que olhar balanço de 100 empresas não?)

   Uso a fórmula mágica apenas para filtrar ações. Não a uso como principal ferramenta para tomada de decisão, pois prefiro utilizar mais dados para isso!

Veja um resumo da formula mágica


  Se você se interessou em conhecer mais a respeito da fórmula mágica, aqui tem um resumo dela (ou aqui). Quer montar um ranking de acordo com a fórmula mágica? clique aqui!





See ya!

segunda-feira, 23 de março de 2015

Investimentos - Minha primeira trava de baixa



   Fala galera! Hoje vou mostrar minha primeira "Trava de Baixa - Opções".  Vejam abaixo;


Investimentos - minha primeira trava de baixa

   Trava de baixa é considerada uma aposta, na qual você acredita que o mercado não vai subir ou vai subir pouco, sendo uma "boa escolha" para mercados de lado ou de baixa.


Conhece a carteira do Inglês? Clique aqui! (Atualizado)


A Montagem da operação



   Montei essa trava no dia 26/02/2015 recebendo cerca de +-R$ 80,00, este valor seria o lucro máximo caso eu deixa-se as opções virarem pó (não foi o caso).

   Desmontei a trava no dia 05/03/2015 pagando cerca de +- R$ 34,00, resultando o lucro de
R$ 45,70!

   Conforme a imagem, meu prejuízo máximo era de R$ 500,00 menos o valor recebido ao montar (R$80,00). No qual dava +- R$ 420,00!

   Sai com um percentual de ganho sobre o valor arriscado de 9,14%!

   Entre os dias 26/02 à 05/03, a VALE5 oscilou para baixo, favorecendo minha operação.

   Tinha como "stop" a VALE5 em R$ 19,29. (em nenhum momento ela chegou perto disso!)

   Essa foi minha primeira trava de baixa. Como podem ver foi sem "sustos". Vamos ver como me comporto com a ação se aproximando (ou até ultrapassando) o ponto de stop!


See ya!

sábado, 21 de março de 2015

OFF - Armas com história

   No post de hoje, compartilho com vocês um vídeo que questiona a segurança que uma arma de fogo pode trazer. Achei sensacional a forma que eles encontraram para explicar que Arma de fogo não traz segurança!

  Vejam!

Guns with history

    Infelizmente não achei o vídeo com legendas em português (sorry!). Para compensar, segue o que consegui traduzir;

   "Cerca de 60% dos americanos pensam em comprar uma arma para tornar suas vidas mais seguras..."

   "Na verdade, ter uma arma aumenta o risco de homicídio, suicídio e morte não intencional..."

   "Para fazer os primeiros compradores de armas pensarem duas vezes, fizemos o improvável..."

   "Abrimos uma loja de armas em New York (tem até um site http://gunswithhistory.com), com centenas de armas. Todas tem uma história"


   Pra resumir, o vendedor explica para todos os compradores as historias que as armas carregam. Vejam essa;

   - Revolver 22, se você quer a melhor arma que seu suado dinheiro pode comprar, aqui está ela. Ela é muito fácil de usar, tanto que uma criança de 5 anos conseguiu usa-la. Em 19 de janeiro de 2015, um menino de 5 anos achou a arma de seu pai e atirou em seu irmão de 9 meses!

 
   Felizmente aqui no Brasil, o porte de arma de fogo é proibido (há exceções...)  

sexta-feira, 20 de março de 2015

Investimentos - Fugindo das Tentações do Mercado

Hey!

Investimentos -Fugindo das tentações do mercado
Investimento ou Jogatina?

   Estou lendo alguns livros sobre o mercado de opções e, confesso, após entender algumas estratégias a "tentação" em operar voltou! Ainda bem que os prejuízos que tive estão ajudando a me controlar.

   Em minha defesa, é comum querermos por em prática o que acabamos de aprender. Como exemplo, posso citar o inicio da habilitação (eu não via a hora de pegar o carro e sair por ai...), a primeira conversa em outro idioma, entre outros.

Como fugir das tentações do Mercado?


    Achei que bastaria estudar mais. Afinal quanto mais informação você obtêm sobre um assunto, menores a chance de você errar. Antes sem conhecimento algum sobre o mercado, abria o home broker e ficava "compro esse? ou aquele?" (Sim, já fiz isso!). Após uns prejuízos, fui atrás de conhecimento e me preparei para lidar com o que chamo de "tentações do mercado".
 
   Porém, não é só estudar e pronto. Principalmente porque você fica ansioso para ver as estratégias dos livros entrarem em ação. Não custa nada (na verdade pode custar bastante) você pensa. Logo eu voltei a fase "abrir home broker e caçar operação", com a diferença de saber um pouco o que estou fazendo. (digo achar que sei o que estou fazendo)

   Logo, não demorou muito para eu lembrar das besteiras e principalmente prejuízos que tomei. Nessa etapa, ganhei um amigo na luta contra isso. (acertou quem disse Consciência)

Reconhecendo os erros

   Sim, minha consciência me ajudou a lutar contra a ansiedade de querer por em prática o que aprendia nos livros. Também a lembrar dos erros que cometi. Parar e pensar Será que eu não estou fazendo exatamente o que fazia antes?  A reflexão é um grande amigo nessas horas...

   Reconhecimento é um passo importante para fugir dessas armadilhas que o mercado deixa prontas para você.


Dicas para sair dessa situação


   Antes de sair correndo para o home broker caçar operação, pare e pense nos seguintes itens;

   - Eu montei uma estratégia para operar? Se não feche o home broker e monte a sua!

   - Na minha estratégia estão definidos os pontos de STOP ganhador (gain) e perdedor (loss)? Está definido o quanto eu aceito perder na operação?
 
   - Tenho definido o quanto ($$$) usarei para operar?  Se você não definir com quanto dinheiro irá operar, pode ser que em um único trade, a operação dê tão errada ao ponto de você perder tudo, assim abreviando sua vida como trader.

   Por último, te pergunto;  - Montou uma simulação da operação que quer por em prática?  Não montou?  Então feche o home broker e monte!

   Todos esses passos demonstrados ai, me ajudam a não cair na besteira de querer operar a todo santo momento.   

E você, o que faz para fugir das tentações do mercado?



See ya!

quarta-feira, 18 de março de 2015

Investimentos - Minha alocação de ativos

Hey!

  Já montaram suas estratégias de alocação de ativos? Ai vai a minha;

   - Tenho como meta 50% Renda Fixa e 50% Renda Variável;

   - Atualmente meus aportes estão todos em Ações;

   - Escolho meus aportes de acordo com a regra dos 30%, na qual consiste em aportar no ativo que não subiu 30%. Segue exemplo;

   - Conforme a imagem acima, as ações ultrapassaram a marca dos 30%, com isso eu paro de aportar nelas;

   - Como a minha meta é 50/50, passo a aportar na renda fixa até voltar aos valores estabelecidos.

   Pronto! Está ai minha alocação de ativos. Elaborei ela baseada no post Como Adotar a Estratégia de Alocação de Ativos Hoje Mesmo e também no livro abaixo;

O Mercado de Ações em 25 Episódios - Paulo Portinho


Livro muito interessante, no qual recomendo a leitura!

  
E  vocês, já possuem uma estratégia de alocação de ativos? Sim, então conte ai nos comentários! 



See ya!


sexta-feira, 13 de março de 2015

Incrementando Aportes com "PUT"

Incrementando Aportes com PUT


   Há exatos 5 meses, venho aumentando meus aportes na bolsa de valores através do lançamento de opções tipo PUT. Vejam abaixo como!

Lançamento de Opções PUT






   Essa estratégia consiste em vender (lançar) uma opção de uma ação que você gostaria de ter em sua carteira.  Alguém poderia perguntar, 

"Por que preciso gostar (atender seus critérios para entrar na carteira) de uma ação para lançar a opção PUT? 
   
  A resposta é "porque existe a possibilidade de você ser exercido".

  Entender a resposta acima é fundamental para levar adiante a estratégia.  

  Para usar esta estratégia, você deve ter o dinheiro em conta para cobrir a operação. E não falo de margem, mas sim o valor para cobrir um eventual exercício. Você pode usar seus Títulos (Tesouro Direto) e CDB. (eu uso meus títulos!). 

Exemplo da operação


  - Lançamento de 300 VALEP15 (R$15,35) a R$ 0,43. Aqui precisamos ter 300* R$15,35, ou seja R$ 4.605,00 + taxa de corretagem para cobrir a operação (esse é o valor mínimo que você deve ter em títulos ou CDB). Esse dinheiro ficará como garantia pela sua corretora (a tal margem) e você poderá usá-lo no caso de exercício (antes se informe com sua corretora).     

  - Lançando 300 VALEP15 a R$ 0,43 recebemos  R$ 129,00 - corretagem.  Esse valor uso para comprar mais ações! 

  - Faço o lançamento uma vez ao mês;

  - Uma semana antes do exercício, recompro e lanço (chamada "rolagem") as opções do mês seguinte.

Experiencia apos  5 meses lançando opções PUT


   Durante esses 5 meses fazendo lançamento, percebi que;
    - Se a VALE5 estiver acima de R$ 15,35 a opção VALEP15 estará valendo pouco e a rolagem é feita com um bom lucro!;

  - A VALE5 abaixo de R$ 15,35 (de 2% a 6%) a uma semana do exercício de opções, é possível fazer a rolagem com lucro;

  - A VALE5 muito abaixo de R$ 15,35 (10% em diante) fica difícil fazer rolagem com lucro, as vezes é possível no prejuízo (você pagará para rolar), mas dependendo de quão baixa esteja a VALE5, a opção fica sem negócios, não havendo comprador/vendedor (restando o exercício).

Espero que tenham gostado!



Fonte: Site "Clube do Pai Rico Renda Fixa com Opções PUT
Fonte: Livro "Get Rick with Options - Lee Lowell"


    
See ya

Tesouro Direto com liquidez "D+1"

Hey!


 
   A partir do dia 30 de março de 2015, começará a valer a compra diária do Tesouro Direto (atendendo até em finais de semana e feriados!).

   Com isso, me vem em mente começar a dividir meu colchão de segurança, que hoje está totalmente alocado em poupança. Penso em alocar 30 ou 50% do meu colchão em LFT. (Hoje se chama Tesouro Selic)

   Porém a dúvida ainda bate, afinal o que faz a poupança ser o destino final é a sua liquidez imediata, e em breve o tesouro chegará a D+1 (lembrando que o dinheiro vai primeiro para a instituição que guarda seus títulos) .

   E vocês o que acham, dividir ou "all in" todo o valor na poupança?


See ya!

segunda-feira, 9 de março de 2015

Meu inicio na Bolsa de Valores

Hey!

   Começo hoje a postar minha experiência na bolsa de valores e meus estudos de inglês. Vou compartilhar minha breve experiência, minhas simulações e meu progresso.
    Compartilharei aqui alguns métodos que uso para estudar Inglês, tais como "usando músicas para aprender Inglês, como uso o tal do "listening" e etc.

   Mas hoje o tema será sobre minha experiência em bolsa, que alias, avalio-a em duas fases, iniciante fase 1 e iniciante fase 2.  Vamos lá!

Iniciante na bolsa de valores - Fase 1


   Em 2006 estava na faculdade, cursando Administração de Redes (Informática) em meu quarto semestre. Na grade estava a matéria "Gestão de Negócios" e eis que o professor resolve falar sobre bolsa de valores. Logo comecei a me interessar por essa modalidade de investimento, a tal da "Renda Variável".

   Logo descobri que dava para utilizar o home broker do meu banco, no qual cobrava corretagem 0,5% sobre operação e taxa de custódia de R$10,80 por mês. Assim comecei meus "investimentos". Defini como "estratégia" vender a ação quando batesse 10% de lucro líquido. Contei com a sorte de iniciante e o bom momento da bolsa para ganhar os trades iniciais, mas lógico isso não duraria muito tempo.

   Em vez de continuar com a "estratégia", fui tomado pela ilusão de operar com os famosos "micos" (ações de empresas em recuperação judicial, quebradas e por ai vai...) (ganhar muito em pouco tempo, doce ilusão...) e com uma certa frequência participava de fóruns sobre eles.

   Resultado, tudo que ganhei no inicio devolvi ao mercado com juros e correção! A minha sorte é que nunca "apostei" (não dá pra chamar de outra coisa o que fazia na bolsa naquela época...) todo o meu dinheiro. Repito, por sorte não perdi tudo!

  Em 2007 desisti da bolsa, dando fim a fase "iniciante 1".

Iniciante Fase 2


   Em 2011 decidi voltar (com a promessa de não cometer os erros do passado). Assim, abri conta na corretora Link Trade e voltei a "investir" na bolsa. Porém, não levei a sério minha promessa. Sim, voltei a apostar (sorry). Ainda bem que não demorou muito para cair a ficha e perceber que estava cometendo os mesmos erros da primeira vez (No total fiz 4 operações e sai no zero a zero! Ufa!).

   Percebi logo a bobagem que estava fazendo e decidi estudar. (Parei novamente com a bolsa) Em quanto lia livros como "Axiomas de Zurique, alguns livros sobre George Soros, Warren Buffet e mais uns outros",  fui aportando no tesouro direto até que em 2013, a antiga corretora Link (Hoje Rico) lançou um programa chamado "Investimento Programado" no qual em uma data escolhida por você, a corretora compra o que você escolheu dentre as opções Tesouro Direto, Ações (para valores pequenos, somente as mais líquidas - ações com alto volume de negócios) e Fundos de Investimento.

   Era a oportunidade que estava buscando, afinal não tinha muito para aportar por mês e esse programa de investimento batia meus requisitos para voltar a bolsa (não pagar taxa de custódia, 0,5% de corretagem sobre operação, aportes a partir de R$100,00). Com isso voltei para a bolsa aportando R$100,00 por mês.

   Devido a esse programa, consegui deixar de lado a vontade de operar (leia aqui apostar). Ele também me disciplinou a não ficar conferindo cotação e seguir religiosamente o plano. (Uma vez por mês o dinheiro é transferido para a conta do corretora, ela compra as ações que dá com o valor transferido e pronto.) Chato não? - Mas confie em mim, melhor assim! :D 

O inicio da minha carteira de Ações

   Devido ao baixo valor que disponibilizei para a renda variável, tive que escolher apenas uma ação para a corretora comprar todo mês. Como dito ai em cima, não podia comprar qualquer ação e sim, somente as mais negociadas.

   Dentre as mais negociadas, escolhi a AMBEV.  Lembro que na primeira compra, a Ambev estava sendo negociada por cerca de +- R$80,00!  Ou seja, literalmente comprava uma ação por mês.

   E assim se seguiu até 2015, onde vendi uma parte dos meus títulos do tesouro direto e aportei nos FIIs. Não usei todo o dinheiro dos títulos nos FIIs e com o que sobrou, comprei outras ações, assim não deixando a Ambev mais sozinha.

Lições Tiradas da Fase Iniciante


   Agora um "pouco" mais experiente, enxergo que a bolsa de valores pode se tornar uma verdadeiro "cassino" e que só com estudo e disciplina você consegue diminuir os riscos.

  Sendo assim, pretendo estudar mais analise fundamentalista (base do buy and hold), estudar opções e o mais importante, buscar aumentar meus aportes!


  E você, qual sua história na bolsa de valores?  Compartilhe!

See ya!