Investidor Inglês

sexta-feira, 23 de junho de 2017


Hey!

Já ouviu falar sobre a estratégia Barbell?   Você sabe o que é?   Não?   OK, continue lendo e explicarei a você. E para começar, deixo como sugestão ouvir a música abaixo para entender melhor a estratégia...


Na verdade, a música não tem nada a ver com o tema, é só sugestão mesmo ;)    Ah, aviso! a música é viciante...(depois não diga que não avisei hehe)


O que é a estratégia Barbell

Por dentro da estratégia Barbell de Nassim Taleb

Segundo nosso amigo Zé, do site clubedopairico, a estratégia barbell é ter 90% do seu patrimônio em títulos do tesouro e o restante em opções. 😮😮😮  Sim, as temidas Opções...

Na verdade, não foi o Zé que disse isso ai, e sim Nassim Taleb! Lembra dele?  Não?  Ele é o autor de A lógica do Cisne Negro (Recomendei esse livro em um dos meus posts) 

Voltando a estratégia, dá para perceber seu conservadorismo, afinal a estratégia é pensada para o mercado americano e lá, os títulos pagam quase nada (mas são seguros). E foi pensando exatamente em melhorar o retorno que Taleb colocou as opções ai. Já que elas podem "turbinar" o resultado.

Como inglês?

Taleb sugere comprar opções PUT e CALL, assim você aproveita eventos tanto para cima, quanto para baixo.  Alguém lembrou do Circuit Breaker? (esse é um evento que a estratégia gosta! hehe)

Mas, será que funciona?



Bom, pra saber se funciona, nada melhor do que testar não?  Se é assim, confira abaixo as opções que irei acompanhar;

  • PETRI13 - Opção CALL com vencimento em 18/09/2017. Nesta simulação a compra foi feita no dia 21/06/2017 por R$0,54

  • PETRU52 - Opção PUT com vencimento em 18/09/2017. Aqui a compra foi feita por R$0,33

Infelizmente, as opções aqui no Brasil além de não terem muita liquidez, se restringindo a uma e outra, também não conta com negócios mais "distantes", mais a longo prazo. E a ideia da estratégia é comprar opções justamente com o maior prazo que conseguir. E aqui, isso se resume a três meses... (Nem vou falar dos EUA)

Por curiosidade, vamos ver quanto $$$ essa estratégia pode nos gerar.

As duas opções acima foram compradas 1000 de cada gerando um custo total de R$852,00 (já considerando corretagem e impostos)




See ya!

quarta-feira, 21 de junho de 2017

As alterações na carteira de Ações do Inglês


Hey!

Dias atrás postei a minha Carteira de Ações. Na verdade, era pra ter sido um comparativo da minha carteira de 2015 com a de 2017. Porém, acabei não detalhando as operações que fiz, até para o post não ficar muito grande, e com isso o post ficou incompleto. Devido a esse fato, a intenção deste post é ser um complemento.

Bom, então vou falar das ações que encarteirei, das ações que já não fazem mais parte da minha carteira e as que usei para operar opções.

Are you ready? 

É hora de ver as alterações na minha carteira de ações


As Alterações na Carteira de Ações do Inglês


Bom falei no post no qual o link está ai em cima, que a minha primeira ação foi a ABEV3 na qual comprava todo mês com aportes de R$100,00. Certo? Falei sobre como comprar ações com pouco dinheiro aqui.

Na verdade, ela não foi a primeira ação que comprei tampouco 2013 foi meu inicio na bolsa de valores. É amigo, entrei na bolsa antes disso. Falei sobre isso aqui.

Toda essa introdução ai é para justificar para mim mesmo a minha volta a bolsa de valores com ABEV3.  Na época, escolhi a Ambev por ser ter sólidos fundamentos e principalmente não ser cíclica, ou seja, a Ambev não "sofre" (sofre menos) com as oscilações da economia.

Quer um exemplo de empresa cíclica?  Pois bem, a Vale do Rio doce (VALE5) é uma empresa cíclica. Veja que a cotação dela anda conforme o minério de ferro. Aqui deixo claro que isso não é uma regra, pois há momentos em que a VALE5 sobe enquanto o minério cai e vice versa.  Mas, geralmente sua cotação acompanha o preço do minério.

O mesmo que falei acima se aplica a Petrobras (PETR4). O preço do petróleo subiu, geralmente a cotação da PETR4 sobe. Porém, lembre-se!  Isso que acabei de falar não é regra.

Voltando a minha carteira, após um tempo comprando somente Ambev, chegou o momento em que pude aumentar os aportes e a segunda ação que entrou para a carteira foi a Vale.  A VALE5 entrou para a carteira devido a umas operações em opções que comecei a fazer. Com o mesmo motivo, encarteirei PETR4.

Como não estava gostando dos resultados, tanto Petrobras quanto Vale deram adeus a carteira. Entre esse tempo, entraram EZTC3, ODPV3, TAEE11 e WEGE3. Essas foram as ações que gastei um tempo analisando e concluindo que elas vieram para ficar.

Também entraram CIEL3, KEPL3, OGXP3 e CTIP3 durante essa fase.  Aqui cometi alguns erros. A KEPL3 por exemplo, vi que seu histórico estava melhorando, que essa ação se enquadrava em uma turnaround.  E lá foi o Inglês comprar a Kepler bem em seu topo histórico. Não demorou muito, acredito que uns 3 balanços e veio o prejuízo. Resultado, a cotação despencou.

A sorte é que sai assim que vi o balanço. Se não amigo, o prejuízo seria maior...

E o caso da Kepler mostra a sorte que tive. Pois eu não não tinha uma estratégia de saída bem definida. Algo até que em um futuro próximo escreverei sobre...

E por não ter essa bendita estratégia, a CIEL3 acabou indo embora. Essa errei a mão. Não era hora de sair, mas... já foi.

CTIP3 e OGXP3 foram minhas últimas vendas. a Cetip devido a fusão com a Bmf&Bovespa. Já a OGXP3 saiu por ser mico! Vai que volto a operar essas tranqueiras igual antes, então decidi vender.

Com o espaço deixado por essas vendas, decidi preenchê-lo com GRND3, MDIA3, RADL3 e UGPA3. Assim formando a minha carteira atual com os seguintes pesos;


  • ABEV3   -  13,62%
  • WEGE3  -  11,71%
  • ODPV3   -   9,31%
  • TAEE11  -   9,32%
  • EZTC3    -  15,01%
  • RADL3   -   8,68%
  • UGPA3   -   7,91%
  • GRND3  -  13,68%
  • MDIA3   -  10,79%

A participação ideal de cada ação é para ser 11%.  Aos poucos, vou ajustando isso ai.

Ah, ia esquecendo...  A rentabilidade histórica bruta dessa carteira ai, baseada em preço médio + dividendos + juros sobre capital está em 16%!  Melhorou, estava em 10% antes de adicionar os proventos.





See ya!

segunda-feira, 19 de junho de 2017


Estratégia com lançamento de opções PUT


Hey!

No post de hoje, vou mostrar uma estratégia com opções para você que faz compras regulares na bolsa de valores. Apesar de ser um tema que vejo poucos adeptos, na blogosfera são poucos os que usam ou revelam usar as opções, acredito ser interessante conhecer novas estratégias.

É sempre bom termos "cartas na manga", não é?

Bom, sem delongas e...

Mantenha a calma e confira a estratégia para comprar ações usando opções
 


Lançando opções PUT para comprar Ações


Como assim Inglês, lançar opções para comprar ação? É você não leu errado! A estratégia que vou passar a você, é nada mais nada menos que lançar uma opção PUT, ou seja, vender uma PUT da ação que você deseja encarteirar!

Eu já postei sobre opções PUT, veja aqui!

Keep calm que já lhe conto mais sobre ela. Essa estratégia pode ser conferida no livro "Get Rich with Options"

Livro com 4 estratégias com opções

Voltando a estratégia, você sabe que vender uma opção PUT é ficar com o dever de comprar a ação na qual se baseia sua opção por um determinado preço. Ficou confuso?  Vamos melhorar isso ai...

Antes, não sabe nada sobre opções? Fiz um post introdutório aqui!

Ao vender a PUT PETRS1, você está vendendo uma opção da ação PETR4, ok? E essa opção te dá o dever de comprar a PETR4 por R$11,75 em seu vencimento. No caso da PETRS1, o vencimento se dá no dia 17/07/2017.

Melhorou? Espero que sim hehe... Qualquer coisa, deixe sua dúvida nos comentários ok?

Veja que na perspectiva de quem tem a ação, é interessante comprar a PUT para se proteger de uma queda.  Vamos pegar a opção ai de cima para entender, você tem PETR4 na carteira e quer se proteger de uma queda em sua cotação. Ao comprar a PETRS1 você fica tranquilo caso a PETR4 caia abaixo de R$11,75.

Se no vencimento da opção a PETR4 ficar acima de R$11,75, a opção não te ajudará. Agora se a PETR4 cair abaixo desse valor, você tem um contrato em mãos dizendo que alguém comprará suas ações por R$11,75. Não importa se a PETR4 esteja valendo R$4,00. Você as venderá por R$11,75. Legal, não?

Bom, isso ai em cima explica o lado de quem comprou a opção e seus direitos. Coloquei para ficar fácil entender o lado do vendedor. Acima vimos que o comprador compra para se proteger e o vendedor...

Vende na espera que o ativo não caia, assim lucrando!

Porém, esse não é o caso que vou lhe mostrar...

A Estratégia...


Por dentro da Estratégia com Opções para receber dinheiro para comprar a ação desejada!

O lançamento de opções PUT que vou lhe mostrar, não visa o lucro com a manutenção do preço da ação ou sua alta. Ou seja, foge totalmente do que lhe mostrei acima.

A ideia da estratégia, é vender a PUT da ação que você quer comprar. Aqui a ideia não é lucrar vendendo a opção e ficar na torcida pela alta da ação, e sim receber uma grana para comprar a ação que deseja! 

Não estou ajudando?  Hmm, calma ae, vamos recapitular...

Pego a PETRS1 como exemplo novamente. Você a vende hoje por R$0,27. Digamos que você pretende comprar 5 lotes de PETR4, se comprasse hoje pagaria R$6140 + corretagem. Mas, você acha-a cara no momento. Então você vende 500 opções PETRS1. Você recebe R$135,00 bruto.

Se no vencimento a PETR4 estiver valendo R$11,00, você será exercido. Pagará R$11,75 por cada lote. Como vendeu 500 opções, ou seja 5 lotes, pagará R$5875 + corretagens. Porém, você tem os R$135,00 que recebeu lá na venda, lembra?

R$5875 - R$135 =  R$5740. Você acabou comprando as ações não por R$5875 e muito menos por R$6140 (baseado na cotação atual). Legal, não?


O Porém...


Gostou da estratégia? Ela é indicada para quem estudou a ação e acha que seu preço atual está "caro". Acredito ser uma estratégia interessante para deixar seu buy & hold com um plus! 

Mas, como tudo na vida, há os poréns...

Ao usar a estratégia, pode ser que você perca a escalada de preços da ação que pretendia comprar. Essa é a desvantagem da estratégia. Você pode ficar de fora do "trem"...

E o outro porém, é que infelizmente em nossa bolsa de valores, há poucas ações para por essa estratégia em prática. O lado bom é que está melhorando, se antes se restringia a Petrobras e Vale, agora temos as opções da Ambev, Bradesco, Banco do Brasil, Itau, Cielo...


Ah, e no próximo post, falarei sobre as alterações em minha carteira de ações durante os anos..



See ya!